11 GENIAIS FILMES POLÍTICOS ITALIANOS QUE VOCÊ PRECISA CONHECER



Sacco e Vanzetti (1971)


Estes filmes são para mim os maiores expoentes dos filmes políticos italianos e que não pertencem a nenhum movimento cimatográfico como o neo-realismo italiano, filmes com contextos políticos inseridos na segunda guerra mundial e etc. Estes filmes são um retrato de uma era e que atualmente ainda possuem um contexto político emergente, atemporal e iconoclasta.
Estes filmes são obras-primas políticas que infelizmente, em sua maioria, não são conhecidas pelo grande público, algo que considero uma tragédia cultural, principalmente aqui no Brasil, que possui características políticas e sociais muito parecidas com as da Itália.
Os filmes estão dispostos em ordem cronológica.

11- Uma Vida Difícil (Una Vita Difficile, 1961) de Dino Risi

 Sinopse: Silvio Magnozzi é um jornalista ex partido comunista que não consegue encontrar na Itália "nova" - que está vivendo seu "boom" econômico e onde ganham sempre os trampolineiros e os "sem escrúpulos" - os ideais que sustentaram a resistência contra os nazi-fascistas. Ele se sente um perdedor e acaba negando sua identidade em troca de um falso bem estar.


10- Os Companheiros (I Compagni, 1963) de Mario Monicelli

Sinopse: Sinegaglia é um professor desempregado que é obrigado a visitar um amigo na cidade de Turim. Chegando lá, ele ajuda na criação de um sindicato para os empregados de uma fábrica local.



09- As Mãos Sobre a Cidade (Le Mani Sulla Città, 1963) de Francesco Rosi

Sinopse: Em um bairro de Nápoles, um edifício desaba deixando um grande saldo de feridos e mortos. O responsável pelo desastre é o empresário Edoardo Nottola, que é investigado, mas escapa impune. No partido ao qual pertence, seus companheiros o abandonam e retiram sua candidatura às eleições. Mas Nottola, inflexível e arrogante, inverte a situação e se torna o primeiro candidato ao grupo de centro, com a proteção de alguns conhecidos corruptos.



08- Investigação Sobre um Cidadão Acima de Qualquer Suspeita (Indagine su un Cittadino al di Sopra di Ogni Sospetto, 1970) de Elio Petri

Sinopse: Inspetor do alto escalão da polícia italiana, com reputação ilibada, fama de incorruptível, mas reacionário, mata sua amante, Augusta Terzi. Testa se a polícia irá acusá-lo por isso e durante o filme, ele vai plantando pistas óbvias que o identificam como o assassino ao mesmo tempo em que vê os colegas ignorando-as, intencionalmente ou não.


07- Confissões de um Comissário de Polícia ao Procurador da República (Confessione di un Commissario di Polizia al Procuratore della Repubblica, 1971) de Damiano Damiani

Sinopse: Um Comissário de Polícia investiga crimes envolvendo empreiteiras do ramo imobiliário, proprietários de terras, a Máfia e suborno em órgãos do governo. Ao aprofundar a investigação, percebe que não conseguirá fazer nada pelos meios convencionais e tenta resolver o caso "acima da lei". Mas o atentado dá errado e ele acaba batendo de frente com um ortodoxo procurador da República disposto a investigar o ocorrido.



06- A Classe Operária Vai ao Paraíso (La Classe Operaia Va in Paradiso, 1971) de Elio Petri

Sinopse: Adorado por seus superiores por ser um trabalhador extremamente dedicado e odiado pelo mesmo motivo por seus colegas de trabalho, Lulu vive entregue aos sonhos de consumo da classe média, alienado em meio aos movimentos de protesto de sua classe, até que um acontecimento põe em xeque suas opiniões.


05- Sacco e Vanzetti (1971) de Giuliano Montaldo

Sinopse: Boston, início dos anos 20. Nicola Sacco (Riccardo Cucciolla) e Bartolomeo Vanzetti (Gian Maria Volonté) são dois imigrantes italianos, sendo o primeiro um sapateiro e o outro um peixeiro, que são detidos pela polícia. Ninguém negava que eram anarquistas, na verdade eles mesmo admitiam, pois acreditavam que era a única forma de o homem ser explorado pelo homem. Porém era duvidoso que Sacco e Vanzetti fossem culpados de um assassinato, que aconteceu em 15 de abril de 1920. O julgamento deles deixou de ser algo baseado na justiça e sim na política, pois deviam ser condenados por serem estrangeiros e seguirem uma doutrina política que se opunha ao conservadorismo, que tinha as rédeas do poder nos Estados Unidos.



04- O Monstro Na Primeira Página (Sbatti il mostro in prima pagina, 1972) de Marco Bellocchio

Sinopse: Um jornal italiano de direita, comandado pelo editor-chefe Bizanti (Gian Maria Volonté), busca manipular a opinião pública em torno de um caso de assassinato. Uma menina rica foi morta na periferia de Milão e um jovem proletário de esquerda é acusado. As manchetes da primeira página não buscam a solução do crime, mas a vitória num complexo jogo político que mira as eleições do final do ano.



03- Cadáveres Ilustres (Cadaveri Eccellenti, 1976) de Francesco Rosi

Sinopse: Juízes da Suprema Corte estão sendo assassinados misteriosamente e o detetive Rogas assume a investigação do caso. A partir de um suposto caso de vingança pessoal, somos levados a entrar numa narrativa que privilegia amostras do caos estudantil, mafioso, policial, político e jornalístico.



02- Feios, Sujos e Malvados (Brutti sporchi e cattivi, 1976) de Ettore Scola

Sinopse: Giacinto (Nino Manfredi) mora com a esposa, os dez filhos e vários parentes num barraco de uma favela de Roma. Todos querem roubar o dinheiro que ele ganhou do seguro, por ter perdido um olho quando trabalhava. A situação fica ainda pior quando ele decide levar uma amante para dentro de casa. Vencedor do Prêmio de Melhor Direção no Festival de Cannes.



01- Aldo Moro: Herói e Vítima da Democracia (Il Caso Moro, 1986) de Giuseppe Ferrara

 Sinopse: A história de Aldo Moro, estadista italiano raptado e mantido prisioneiro pela brigada vermelha. Cinquenta e cinco dias depois, seu corpo foi encontrado no porta malas de um carro. Moro não foi somente uma vitima dos terroristas, mas também da luta pelo poder entre os partidos políticos italianos.



Share on Google Plus

About leandro godoy

Sou o criador, editor chefe e escritor do site Cinema e Fúria. Gosto dos mais malucos exploitations, aos cultuados filmes de arte até ao mainstream do cinemão pipoca. Meus outros interesses são: odontologia, literatura e música.
    Comentários do Blogger
    Comentários do Facebook

1 comentários:

  1. Recomendo também O Divo (Il Divo – La spettacolare vita di Giulio Andreotti, 2008) do Paolo Sorrentino. Muito boa lista!

    ResponderExcluir