15 FILMES QUE MOSTRAM A FACE OBSCURA DO COMUNISMO





Pensei muito em fazer esta lista pelo simples fato de que as pessoas estão com uma ideia muito torpe em relação ao que significa comunismo e o que ele representa, principalmente pelo fato de que elas relacionam este estilo de governo com o Partido dos Trabalhadores (PT). Há no Brasil uma nítida e poderosa campanha de marketing visando a desmoralização deste partido perante a opinião popular, um jogo político baixo feito por outros partidos políticos e grupos econômicos que visam a tomada do poder manipulando o discernimento popular.
Há uma furiosa negação por parte da população  sobre o comunismo e eu tenho a consciência de que esses filmes podem de alguma forma aumentar esse preconceito, principalmente perante as pessoas que não possuem nenhuma educação política. Então, se você é um ''bolsominion'' de plantão não compartilhe isso na sua timeline e nem indique esta lista para ninguém, porque você faz parte da parcela da sociedade brasileira que ainda deve-se educar muito para ter no mínimo um senso moral e ético sobre como é viver em sociedade e quem sabe algum dia poder entrar em qualquer discussão política, você é um arquétipo de cidadão simpatizante do nazifascismo que vive num estado de comportamento de rebanho que nada se difere daquele que defende qualquer ditador comunista.
O que é fato também é a incompetência deste partido (PT). Algo que o fadou ao fracasso em todos os anos que esteve à frente do governo da república brasileira foi a nítida falta de interesse em combater a corrupção que corroeu suas bases. Mas isto não o torna o único culpado pela crise econômica e política que vive o Brasil, o PT é somente a ponta do iceberg, todos os partidos possuem seus interesses e a corrupção faz parte das bases de todos eles.
O comunismo como forma de governo falhou em todos os quesitos, mas a esquerda revolucionária  utópica e ideológica não deve ser colocado neste mesmo balaio, ele deve ser discutido e sempre estar presente nas ecléticas maneiras de governar com todas as ideologias que diversos políticos e cidadãos possuem. Nada pode ser autoritário e, nada, simplesmente nada, pode ser a verdade absoluta. Política sem razão é barbárie.
Esses filmes não são tendenciosos e não fazem parte dos milhares de filmes feitos para denigrir o comunismo, principalmente na época da guerra-fria, deturpando fatos históricos.
A lista está disposta em ordem cronológica.

11- Doutor Jivago (Doctor Zhivago, 1965) de David Lean/ País: EUA





Sinopse: O filme conta sobre os anos que antecederam, durante e após a Revolução Russa pela ótica de Yuri Zhivago (Omar Sharif), um médico e poeta. Yuri fica órfão ainda criança e vai para Moscou, onde é criado. Já adulto se casa com a aristocrática Tonya (Geraldine Chaplin), mas tem um envolvimento com Lara (Julie Christie), uma enfermeira que se torna a grande paixão da sua vida. Lara antes da revolução tinha sido estuprada por Victor Komarovsky (Rod Steiger), um político sem escrúpulos que já tinha se envolvido com a mãe de Lara, e se casou com Pasha Strelnikoff (Tom Courtenay), que se torna um vingativo revolucionário. A história é narrada em flashback por Yevgraf de Zhivago (Alec Guiness), o meio-irmão de Yuri que procura a sua sobrinha, que seria filha de Jivago com Lara. Enquanto Strelnikoff representa o "mal", Yevgraf representa o "bom" elemento da Revolução Bolchevique.


10- A Revolução Dos Bichos (Animal Farm, 1954) de John Halas, Joy Batchelor/ País: Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte




Sinopse: Desenho animado produzido na Inglaterra que faz adaptação do clássico de George Orwell, a obra que narra a história do fazendeiro Jones, um homem beberrão e cruel que explora seus animais. Revoltados com seu proprietário, os animais se organizam e tomam posse das terras, passando a controlar o lugar e decretando uma série de novas regras. Os porcos, no entanto, querem uma sociedade ideal por meio da opressão, o que faz surgir uma revolução. Essa obra é uma poderosa crítica ao regime comunista stalinista.


09- O Baile dos Bombeiros (Horí, má panenko, 1967) de Miloš Forman/ País: Tchecoslováquia




Sinopse: Sátira política da então Tchecoslováquia nos tempos da Cortina de Ferro. Em uma pequena cidade, o Corpo de Bombeiros organiza uma grande festa para comemorar os 86 anos do ex-chefe do departamento. Um ladrão e as candidatas nada atraentes do “Miss Corpo de Bombeiros” mudam os rumos da celebração.


 08- A Confissão (L'Aveu, 1970) de Costa-Gavras/ País: França, Itália




Sinopse: Anton Ludvik é vice-ministro das Relações Exteriores da Tchecoslováquia. Um dia, sem explicações, ele é preso e jogado numa solitária. Depois de enfrentar terríveis torturas psicológicas, Anton, um político fiel ao governo, vê-se forçado a se declarar traidor. O filme é um libelo contra o totalitarismo.


07- O Homem de Mármore (Czlowiek Z Marmuru, 1977) de Andrzej Wajda/ País: Polônia



Sinopse: Em 1976, uma jovem estudante de cinema resolve fazer um filme biográfico sobre um importante agitador do proletariado a partir de entrevistas com pessoas que o conheceram.



06- O Homem de Ferro (Czlowiek Z Zelaza, 1981) de Andrzej Wajda/ País: Polônia


Sinopse: Um trabalhador comum que se torna um "homem de ferro" forjado pela experiência, um filho que faz as pazes com seu pai, um casal que se apaixona, um repórter buscando coragem para mudar sua vida e uma nação inteira passando por duras mudanças. Esses são os ingredientes deste filme de Andrzej Wajda, continuação de o "Homem de Mármore" (1977).

Na Varsóvia de 1980, o Partido Comunista envia Winkel (Marian Opanian), um repórter alcoólatra e frágil, até o distrito de Gdansk, para descobrir os podres que estariam por trás das greves nos portos. Um dos focos principais dessa investigação seria o jovem Maciej Tomczyk (Jerzy Radziwiłowicz), um articulado trabalhador cujo pai foi morto durante os protestos de Dezembro de 1970. Fingindo interesse e simpatia, Winkel entrevista diversas pessoas que conhecem Tomczyk, incluindo sua esposa, a presidiária Agnieszka (Krystyna Janda). Ao fazer isso, Winkel se depara com uma realidade diferente da que ele imaginava, o que muda completamente sua visão acerca do regime comunista e do próprio Tomczyk.

Um dos grandes diferenciais do filme está na forma como as entrevistas feitas por Winkel são apresentadas. Os flashbacks dos personagens são mostrados através de filmagens reais dos protestos de 1968 e 1970 e dos movimentos que deram origem aos sindicatos livres da Polônia, como o Solidarność. O "Homem de Ferro" ganhou a Palma de Ouro (1981), o Prêmio do Júri Ecumênico do Festival de Cannes (1981) e foi indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro (1982, 54º edição).


05- Chequista (Чекист / Chekist, 1992) de Aleksandr Rogozhkin/ País: Rússia




Sinopse: Srubov é membro da CHEKA, a polícia secreta que Lenin estabeleceu após a Revolução Bolchevista. Ela prende, entrevista e executa intelectuais, aristocratas, judeus, clérigos e suas famílias. No porão do prédio, cinco pessoas de uma vez são alvejadas enquanto elas ficam nuas de frente para portas de madeira. Ninguém para lembrar suas últimas palavras; Nenhum mártir, apenas corpos desconhecidos. Diariamente, o tribunal ilegal, as execuções, o carregamento de corpos nos vagões. Srubov, é chequista, está frio, distante, sexualmente disfuncional e profundamente pensante, odiado por antigos amigos e sua família. Ao tentar raciocinar sobre a natureza da revolução e o propósito da CHEKA, ele lentamente vai perdendo a sanidade mental.


04- Antes do Anoitecer (Before Night Falls, 2000) de Julian Schnabel




Sinopse: Após ser educado com a Revolução Cubana e premiado nacionalmente por seu trabalho, o escritor Reynaldo Arenas termina sendo preso e, posteriormente, exilado de seu país-natal. Conheça a vida de Reynaldo Arenas, desde sua infância pobre até seu exílio em Nova York, passando pelo horror e preconceito sofrido ainda em Cuba, pelo fato de ser homossexual.



03- Adeus, Lenin! (Good Bye Lenin!, 2003) de Wolfgang Becker/ País: Alemanha




Sinopse: Em 1989, pouco antes da queda do muro de Berlim, a Sra. Kerner (Katrin Sab) passa mal, entra em coma e fica desacordada durante os dias que marcaram o triunfo do regime capitalista. Quando ela desperta, em meados de 1990, sua cidade, Berlim Oriental, está sensivelmente modificada. Seu filho Alexander (Daniel Brühl), temendo que a excitação causada pelas drásticas mudanças possa lhe prejudicar a saúde, decide esconder-lhe os acontecimentos. Enquanto a Sra. Kerner permanece acamada, Alex não tem muitos problemas, mas quando ela deseja assistir à televisão ele precisa contar com a ajuda de um amigo diretor de vídeos.


02- A Vida dos Outros (Das Leben der Anderen, 2006) de Florian Henckel von Donnersmarck/ País: Alemanha




Sinopse: Georg Dreyman (Sebastian Koch) é o maior dramaturgo da Alemanha Oriental, sendo por muitos considerado o modelo perfeito de cidadão para o país, já que não contesta o governo nem seu regime político. Apesar disto o ministro Bruno Hempf (Thomas Thieme) acha por bem acompanhar seus passos, para descobrir se Dreyman tem algo a esconder. Ele passa esta tarefa para Anton Grubitz (Ulrich Tukur), que a princípio não vê nada de errado com Dreyman mas é alertado por Gerd Wiesler (Ulrich Mühe), seu subordinado, de que ele deveria ser vigiado. Grubitz passa a tarefa a Wiesler, que monta uma estrutura em que Dreyman e sua namorada, a atriz Christa-Maria Sieland (Martina Gedeck), são vigiados 24 horas. Simultaneamente o ministro Hempf se interessa por Christa-Maria, passando a chantageá-la em troca de favores sexuais.


01- A Culpa é do Fidel (La Faute à Fidel!, 2006) de Julie Gavras/ País: França, Itália



Sinopse: Anna de la Mesa (Nina Kervel-Bey) tem 9 anos, mora em Paris e leva uma vida regrada e tranqüila, dividida entre a escola católica e o entorno familiar. O ano é 1970 e a prisão e morte do seu tio espanhol, um comunista convicto, balança a família. Ao voltar de uma viagem ao Chile, logo após a eleição de Salvador Allende, os pais de Anna estão diferentes e a vida familiar muda por completo: engajamento político, mudança para um apartamento menor, trocas constantes de babás, visitas inesperadas de amigos estranhos e barbudos. Assustada com essa nova realidade, Anna resiste à sua maneira. Aos poucos, porém, realiza uma nova compreensão do mundo.




Share on Google Plus

About leandro godoy

Sou o criador, editor chefe e escritor do site Cinema e Fúria. Gosto dos mais malucos exploitations, aos cultuados filmes de arte até ao mainstream do cinemão pipoca. Meus outros interesses são: odontologia, literatura e música.
    Comentários do Blogger
    Comentários do Facebook

1 comentários:

  1. Você foi infeliz na sua introdução. Fala sobre marketing para destruir o pt, mas não comenta sobre o modo de propaganda comunista: acusar daquilo que são.
    Você falou em nazifascismo e nem ao menos sabe da onde surgiram os dois.
    Que tristeza.

    ResponderExcluir