ANTHROPOID (2016) - Crítica





Anthropoid é um filme que conta partes do acontecimento histórico que levou ao assassinato de Reinhard Heydrich o terceiro comandante na linha de comando nazista e um dos homens mais importantes de Adolf Hitler, pelas mãos de assassinos que faziam parte da resistência contra a invasão nazista na Tchecoslováquia. O filme é bastante didático mostrando de forma dinâmica como foi uma das operações mais ousadas e corajosas de toda resistência contra o terceiro reich. 
O filme é dirigido pelo cineasta Sean Ellis (Metro ManilaCashback) que de forma competente e sem rodeios cria toda uma atmosfera tensa que demonstra a coragem e o receio dos envolvidos nesta operação que beirava o suicídio. A pedido do cineasta a produção de arte do filme escolheu locações em Praga onde aconteceram os eventos reais para filmar algumas cenas, como uma cena de tortura gravada no Palácio de Petschek lugar onde realmente acontecia torturas dos civis e militares que faziam parte da resistência checa. O cineasta levou cerca de 13 anos para tirar o projeto do filme da gaveta.
Os paraquedistas responsáveis por serem os executores da missão são interpretados por Jamie Dornan (Ján Kubiš ) e Cillian Murphy (Josef Gabcík) que fazem personagens que estão extremamente focados em realiza-la. O elenco de apoio também faz um trabalho competente em servir de inspiração, causando dúvidas e pondo em cheque a moralidade e os ideais das personagens principais. O desenvolvimento de personagens neste filme não é algo que convence porque ele não existe, o filme é focado em apenas mostrar a missão e suas consequências para os envolvidos e para toda nação checa. Isso o filme faz com maestria.
Cillian Murphy (Josef Gabcík)
O comandante Reinhard Heydrich foi um dos responsáveis por arquitetar a Solução Final das questões judaicas (holocausto) e também o foi incumbido pelo próprio Hitler a missão de manter a Tchecoslováquia em ordem, isso ele o fez com mãos de ferro, assassinando só em sua primeira semana a frente desta missão mais de 5.000 pessoas, neste período ele ficou conhecido como ''o açougueiro de Padra''. Neste filme ele é interpretado pela segunda vez pelo ator Detlef Bothe que já o havia interpretado no filme Lídice (2011). 
Com certeza o grande acerto deste filme são as cenas de ação, que são bastantes eletrizantes mas elas são sempre focadas no que está acontecendo, mostrando tudo que é relevante, sem querer enganar o espectador com câmeras tremidas e excesso de artifícios visuais. O filme é um thriller de guerra muito bem conduzido, um trunfo que infelizmente passou despercebido por 2016.

NOTA: 8,0 


Share on Google Plus

About leandro godoy

Sou o criador, editor chefe e escritor do site Cinema e Fúria. Gosto dos mais malucos exploitations, aos cultuados filmes de arte até ao mainstream do cinemão pipoca. Meus outros interesses são: odontologia, literatura e música.
    Comentar pelo Blogger
    Comentar pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário